Enterite por salmonela

Enterite por salmonela

Definição:

Inchaço no revestimento do intestino delgado causado pela bactériasalmonella.

Causas, incidência e fatores de risco:

Na enterocolite por salmonela pode ocorrer um ataque diarreico de leve a intenso. A infecção é adquirida pela ingestão de água ou alimentos contaminados. Qualquer alimento pode se contaminar durante a preparação se as condições e o equipamento utilizado não tiverem sido higienizados. O período de incubação é de 8 a 48 horas após a exposição; a doença aguda dura entre uma e duas semanas. Em alguns pacientes sob tratamento, a bactéria é eliminada pelas fezes por meses seguidos. Existe ainda o estado de portador, que ocorre em algumas pessoas que continuam a eliminar a bactéria por um ano ou mais a partir da infecção inicial.

Os fatores de risco incluem:

  • Consumo de alimentos guardados ou preparados inadequadamente (em particular ovos e carne de peru ou frango mal-cozidos e recheio não-refrigerado de aves)
  • Familiares com infecção por salmonela recente
  • Casos familiares recentes de gastroenterite
  • Institucionalização
  • Ingestão de aves
  • Posse bichos de estimação como iguanas, tartarugas, lagartos e cobras (os répteis são portadores da salmonela).

Sintomas:

  • Dor muscular
  • Dor abdominal, cólicas ou sensibilidade
  • Diarréia
  • Náusea e vômitos
  • Febre
  • Calafrios

Tratamento

O objetivo do tratamento é repor os líquidos e os eletrólitos (sais e minerais) perdidos com a diarréia (normalmente não são administrados medicamentos antidiarréicos, pois eles podem prolongar o processo infeccioso). O cuidado pessoal que pode ser tomado para evitar a desidratação é a ingestão de soluções de eletrólitos para repor os líquidos perdidos com a diarréia – disponíveis sem prescrição médica. O tratamento com antibióticos pode ser indicado para aqueles que estiverem gravemente sintomáticos.

Solicitar ajuda médica quando :

  • Vômito ou dor abdominal fortes
  • Sinais de desidratação: redução da produção de urina, olhos afundados, boca seca ou pegajosa, ausência de lágrimas ao chorar
  • Indiferença.

Prevenção:

Como medida preventiva deve-se guardar e manipular os alimentos de maneira adequada. Recomenda-se também lavar bem as mãos antes de lidar com alimentos, especialmente ovos e aves. Se você possui um réptil, use luvas ao tocar no animal ou em suas fezes, pois a salmonela é facilmente transmitida pelo animal.

 

Úlcera e Gastrite

Existem muitas duvidas acerca da gastrite e úlcera com relação à distinção.

Gastrite é, basicamente, uma irritação na parede estomacal devido à má proteção da mucosa que reveste o estomago. Essa irritação pode se apresentar tanto no estomago quanto também no duodeno.

A úlcera se trata de um estágio mais avançado de gastrite, saindo à linha das pequenas moderadas irritações para inflamações de maior magnitude da parede do estomago. Alguns fatores que influenciam a evolução desse quadro inflamatório é a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas, cigarros, remédios e outras substancias tóxicas.

Como profilaxia dessa inflamação podemos citar:

-Organizar uma dieta com horários específicos para , café da manhã, almoço e janta´r

-Nunca passar mais de 4 horas sem se alimentar.

-Evitar tomar líquido durante as refeições

-Evitar ingerir alimentos pesados antes de dormir.

 

O Alimento no Trato Digestório

Depois do processo de mastigação, onde ocorre a redução do alimento em uma pasta mole, o alimento passa a se chamar Bolo alimentar. Esse ‘’bolo’’ é empurrado pelo língua até a faringe que com a coordenação dos movimentos dos lábios, da língua e dos movimentos peristálticos essa pasta segue para o esôfago e posteriormente para o estômago onde será digerido quimicamente pelo ácido clorídrico (HCl), secretado pelo órgão.Depois desse processo o bolo alimentar recebe o nome de Quimo, que é o conteúdo resultante do estomago e intestino.Após sofrer ação do intestino, o Quimo se torna Quilo que posteriormente se transforma em fezes que, por sua vez, serão secretadas através do ânus.

 

Intestino grosso

O intestino grosso , é divido em : Colo Ascendente, que é a segunda parte do intestino, Colo Transverso, que é a parte mais larga e móvel no órgão, Colo Descendente, Colo Sigmóide, que se caracteriza pela sua alça em forma de ‘’S’’, de tamanho variável, Flexura Hepática, que se localiza entre o Cólon ascendente e o cólon transverso , dentre outras divisões específicas.

O Intestino Grosso tem como funções: absorver água de certo eletrólitos, sintetiza determinadas vitaminas, armazenar temporariamente os resíduos (fezes) e eliminação dos mesmos.

O Ceco Tem única função de receber o conteúdo do intestino delgado e iniciar a reabsorção e alguns nutrientes, e é nessa região que se localiza o apêndice vermiforme.

Pâncreas: função, componentes do suco pancreático

O pâncreas é uma glândula exócrina e endócrina, ou seja, produz hormônio para ser lançados diretamente na corrente sanguínea (endócrina) e para ser secretado em um sistema de condutos ou canais excretores que se abrem em superfície interna ou externa.

Em sua porção endócrina o pâncreas produz hormônios que regulam os níveis de glicose sanguíneo exemplos:

-Insulina e Amilina que reduzem a taxa de açúcar no sangue

-Glucagon que, ao contrário da insulina aumenta a taxa de açúcar no sangue.

-Somatostatina que inibe o pâncreas endócrino

-Polipeptídio pancreático que inibe o pâncreas exócrino.

Já a porção Exócrina tem a função de sintetizar e secretar íons bicarbonato e enzimas do Suco Pancreático como:

-Amilase pancreática: que age da digestão no amido, assim como a saliva que inicia a digestão dessa substancia na boca,  gerando como produto final da digestão a Maltose

-Tripsina: que digere as proteínas e polipeptídeos  gerando como produto final peptídeos e aminoácidos assim como a Quimiotripsina.

-Lipase Pancreático: que age nos lipídios já emulsificados pela bile no Duodeno.

-Nuclease: Digere os Ácidos Nucléicos (DNA e RNA), basicamente o núcleo das células.

 

 

Função da bile

A Bile, sintetizada pelo fígado , é armazenada na vesícula biliar. Quando o quimo chega ao duodeno um hormônio chamado colecistocinina estimula a vesícula a se contrair, liberando a bile pelo canal colédoco. A Bile age na emulsão da gordura, em poucas palavras, prepara a gordura para ser digerida mais facilmente pela lipase transformando gotas de gordura presente do quimo em gotículas de gordura. Porém , ao contrário do que muitos pensam, a bile não possui enzimas, mas sim sais biliares que são como detergentes no processo digestivo.